Seja sempre bem-vindo e aproveite para visitar nossas outras páginas


Outros

 

Do blog mais de mil frases de efeito

Em ordem alfabética 

Você pode ler as novas postagens nesse blog via  >>  RSS Feed 

Webcams do Mundo ao vivo
 
>> Mapa do Mundo

Rio de Janeiro - webcams

Copacabana Posto 6

 

Por dentro de um átomo
 
Se você leu nosso recente artigo sobre os 7 elementos do Universo, aprendeu que existem mais forças além da gravidade e do electromagnetismo. A principal delas é a força nuclear forte, uma potente cola que prende as partículas do núcleo atômico.  De acordo com alguns cientistas, uma das formas de buscar uma unificação seria notando uma possível origem em comum dessas forças.
 
Recapitulando: Os quarks formam os prótons e nêutrons, que por sua vez formam os átomos, também composto por outras partículas. As forças fundamentais são feita de partículas. O electromagnetismo é composto por fótons, a força nuclear forte, pelos glúons e a gravidade são os grávitons (ainda não observados), além dos bósons da força fraca. Combinados, tudo isso forma tudo no universo.
 
 
Se você perguntar para um físico quântico do que essas partículas elementares são feitas, ele dirá que elas são o que são, e ponto final. Mas se perguntar para um defensor da Teoria das Cordas, ele dirá que dentro de cada partícula subatômica há pequenas cordas que vibram e determinam o que cada partícula deverá ser. Tudo então é feito de pequenas cordas que vibram, do tamanho de bilhões de bilhões de vezes menor que um átomo. Se você pudesse aumentar um átomo até o tamanho do sistema solar, uma corda teria um tamanho de uma árvore. Por isso, uma corda nunca foi observada, pois seria preciso um microscópio muito bom, e grande, talvez um acelerador de partículas do tamanho da Via Láctea.
 
A vibração da corda é que o determina o aparecimento de uma partícula. Se uma corda vibra de um modo, surge um quark. Se vibra em outro, surge um elétron, e em outro um gráviton e por aí vai. Mas essa melodia não pode existir sem pelo menos 9 dimensões espaciais (já incluindo com as 3 comuns), pois sem mais dimensões elas não teriam energia suficiente para vibrar e fazer partículas surgirem “do nada”. Tais dimensão estão enroladas num microscópico espaço de tamanho 10-33 centímetros de extensão. Cada corda moraria num cubículo hexadimensional onde poderia tocar livremente sua melodia.
 
http://misteriosdomundo.com/dimensoes-extras-a-teoria-m#ixzz2OFKRTrL7 

PÁGINA EM CONSTRUÇAO