Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra

30/10/2015 18:31

"A Verdade Sufocada" - O Livro

 

A verdade que a esquerda esconde

Sinopse

 O livro resgata a verdade de um período histórico totalmente distorcido por aqueles que hoje encobrem os seus reais desígnios de transformar o Brasil em um satélite do comunismo internacional, com a falácia de que lutaram contra uma ditadura militar para promover a liberdade e a democracia.
 
A obra desfaz mitos, farsas e mentiras divulgadas pelos derrotados para manipular a opinião pública e para desacreditar e desmoralizar aqueles que os venceram.
 
Em linguagem coloquial, A Verdade Sufocada narra o período pré-1964, quando a efervescência dos movimentos subversivos e a influência de Cuba sobre os nossos comunistas quase conduziram o País ao caos; narra os motivos que levaram os militares, apoiados pela mídia, a pedido da sociedade, a desencadear a Contra-Revolução de 1964.
 
Faz um relato pormenorizado sobre o entrechoque entre os Órgãos de Segurança e as organizações comuno-terroristas. O livro apresenta provas irrefutáveis, que permitem aos leitores fazer um verdadeiro juízo de valor sobre a realidade dos fatos ocorridos naqueles anos conturbados. Cita pessoas, organizações e crimes praticados em nome de uma democracia e de uma liberdade que eles jamais praticaram. O livro abrange o período que vai da Intentona Comunista até os dias atuais.
 
Trata-se de um alerta aos jovens para que não sejam usados. É um paralelo entre o passado recente de nossa História e os dias atuais.
 
Realmente é uma história que muitos não querem que o Brasil conheça. É verdade que alguns setores não querem difundi-la. Ainda continuam tentando sufocá-la. Poucas livrarias se dispuseram a vender o livro. Algumas vendem, mas não o expõem nas vitrines. É um livro que incomoda, porque traz à luz a verdadeira história dos “heróis” cultuados hoje, de seus atos terroristas, de seus crimes e das organizações a que pertenciam.
 
A Verdade Sufocada desvenda os “justiçamentos” que eles praticaram em nome da “liberdade” e da "democracia".
Acaba com o mito de que as Forças Armadas lutaram com seus tanques contra estudantes armados de estilingue e meninos inocentes.
Desvenda os “justiçamentos” que eles praticaram em nome da “liberdade”.
 
Texto: https://www.averdadesufocada.com/index.php/sinopse-mainmenu-6
Projeto ORVIL - A Verdade Sufocada:
>> Clique para o Download do livro 1 ou Download do livro 2 - PDF 36.7 MB
 
 
Carlos Alberto Brilhante Ustra (Santa Maria, 28 de julho de 1932 — Brasília, 15 de outubro de 2015) foi um coronel reformado do Exército Brasileiro, ex-chefe (de 1970 a 1974) do DOI-CODI do II Exército, um dos órgãos atuantes na repressão política, durante o período do regime militar no Brasil (1964-1985). Também era conhecido pelo codinome de Dr. Tibiriçá.
 
Em 2008, Ustra tornou-se o primeiro militar a ser reconhecido, pela Justiça, como torturador durante a ditadura. Embora reformado, ele continuou politicamente ativo nos clubes militares, na defesa da ditadura militar e nas críticas anticomunistas.
 
Morreu aos 83 anos, em 15 outubro de 2015, em razão de uma pneumonia, vítima de falência múltipla de órgãos após algumas semanas de internação hospitalar. Sua morte foi lamentada por algumas pessoas entrevistadas na imprensa, como uma consagração da impunidade aos responsáveis pelos assassinatos e torturas cometidos pela ditadura militar no Brasil, embora as acusações a ele impostas não se tenham confirmado.
 
De setembro de 1970 a janeiro de 1974, Ustra chefiou o DOI-CODI do II Exército (São Paulo), órgão encarregado da repressão a grupos de oposição à ditadura militar e aos grupos de esquerda que atuavam na região. No mesmo período, a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo reuniu 502 denúncias de tortura no DOI-CODI paulista.
 
Segundo Thomas Skidmore descreve em seu livro Brasil: de Castelo a Tancredo, em 1986, a então deputada Bete Mendes reconheceu em Ustra, adido militar no Uruguai durante o governo José Sarney, o homem que a torturou em 1970. A deputada enviou uma carta ao então presidente Sarney, solicitando que ele fosse exonerado do cargo e pronunciou discurso sobre o assunto no Congresso Nacional. No entanto, o general Leônidas Pires Gonçalves, ministro do Exército à época, manteve Ustra no posto e também avisou que não demitiria nenhum outro militar por acusações de tortura. Isso tornou Ustra um protagonista da primeira crise militar do governo Sarney.
 
Em resposta a Bete Mendes, em 1987, o ex-coronel lançou o livro Rompendo o silêncio, em que narra sua passagem pelo DOI/CODI, no período de 1970 a 1974, além da Operação Bandeirante (OBAN). Em 2006, lançou o livro A Verdade Sufocada, em que conta sua versão dos fatos que viveu durante a ditadura. O livro possui dez edições publicadas e a soma das tiragens ultrapassaram vinte mil exemplares.
 

 

 

Bete Mendes mentiu! - A CALÚNIA SOBRE CARLOS ALBERTO BRILHANTE USTRA ( https://youtu.be/3S7OD0Ajc0o VÍDEO RETIRADO DO AR ? ).

Houve até o caso do ex-terrorista Theodomiro Romeiro dos Santos (Marcos), militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), que foi recebido como herói quando regressou do exterior, onde se refugiara. Theodomiro fora condenado à morte (existia pena de morte naquela ocasião) porque matou com um tiro na nuca o Sargento da Força Aérea Brasileira, Valder Xavier de Lima, que ao volante de um jipe o transportava preso Theodomiro, de volta.  Agora o nosso Sargento Valder, de vítima do terror passara a ser taxado de agressor de um indefeso. 
*(e de volta disse:- "Faria tudo outra vez.”  JORNAL DO BRASIL — 06/09/1985.)  
 
Com a conivência e a participação da Deputada BETE MENDES fora montada uma das maiores farsas a que este pais já assistiu. 
Para denegrir o Exército, dentre muitos que combateram o terrorismo, fui o escolhido. Um militar que lutou contra a Guerrilha Urbana em São Paulo, durante quatro anos. 
Para a máxima repercussão, não poderia haver ocasião mais oportuna que o aproveitamento da visita do Presidente da República ao país onde eu exercia as funções de Adido do Exército junto à Embaixada Brasileira. 
Nada melhor do que uma atriz para representar o papel de vítima. Nada melhor do que uma Deputada Federal para caluniar, escudada nas suas imunidades parlamentares. 
 
* Acrescentado ao texto original
Fonte: https://aneste.org/supervirtual-rompendo-o-silncio.html?page=2

 Jornalista Miriam Macedo diz que mentiu por 30 anos sobre a "TORTURA"

Miriam, dizendo que foi orientada a mentir durante anos e que a maioria dos que se dizem torturados nunca foram sequer tocados na prisão, é uma verdadeira bomba atômica no discurso de tantas pessoas, que hoje são tratadas quase como heróis e heroínas, pelo que teriam sofrido nos porões da ditadura.
 
Um choque para o Brasil, uma bomba que preferiríamos, nunca viesse a público, surge agora, na imprensa brasileira. É uma confissão. Feita pela jornalista Miriam Macedo (foto). Ela, que durante anos denunciou que foi torturada e assistiu torturas em prisões da ditadura militar, escreveu simplesmente: “Menti descaradamente durante 30 anos!”. O relato, feito em seu blog (blogdemirianmacedo.blogspot.com), é inacreditável. 
 
Ela escreveu: “Que teve gente que padeceu, é claro que teve. Mas alguém acha que todos nós que saíamos da cadeia contando que tínhamos sido barbaramente torturados falávamos a verdade? Não, não é verdade. Noventa e nove por cento das barbaridades e torturas eram pura mentira! Por Deus, nós sabemos disto! 
 
Ninguém apresentava a marca de um beliscão no corpo. Éramos barbaramente torturados e ninguém tinha uma única mancha roxa para mostrar! Sei, técnica do torturadores... Não, técnica de torturado, ou seja, mentira. Mário Lago, comunista até a morte, ensinava:´quando sair da cadeia, diga que foi torturado. Sempre". Miriam, até com alguma ironia, diz que a confissão é sua contribuição para a "Comissão da Verdade (?)", instalada para trazer à luz os milhares de casos denunciados de tortura durante a terrível ditadura militar.
 
O longo texto de Miriam, dizendo que foi orientada a mentir durante anos e que a maioria dos que se dizem torturados nunca foram sequer tocados na prisão, é uma verdadeira bomba atômica no discurso de tantas pessoas, que hoje são tratadas quase como heróis e heroínas, pelo que teriam sofrido nos porões da ditadura. “Era mentira? Era, mas, para um revolucionário comunista, a verdade é um conceito burguês, Lênin já tinha-nos ensinado o que fazer”, concluiu a jornalista no confessionário público. E agora?
 
CASOS CONCRETOS
Mas é importante que tudo seja esclarecido. A Comissão da Verdade (*) tem obrigação de chamar a jornalista para depor, até para demonstrar sua imparcialidade. Houve tortura no Brasil? Claro que houve. Mas houve e ainda há muita história contada por pseudos heróis, que na verdade amarelavam e denunciavam companheiros antes mesmo de sofrerem alguma ameaça.
 
 

(*) Adicionado ao texto original para esclarecer, que a citada CNV - Comissão Nacional da Verdade (?) foi constituída por membros escolhidos pelo atual governo de esquerda, e por conseqüência não poderia ter um relatório diferente do que foi ardilosamente apresentado, denegrindo a imagem das FFAA, que nos livraram de uma ditadura nos moldes Cubanos, e eles ainda permanecem tentando reescrever a verdadeira história. Não queremos parcialidade, exigimos verdade e justiça, que os guerrilheiros que partiram para a luta armada também sejam julgados pelos assassinatos e outras atrocidades por eles cometidos. 

Leia aqui >> A verdade escondida

Não tivemos uma “ditadura” como apregoam, mas sim um Governo Militar que foi realmente austero, mas só com aqueles que ainda tentavam disseminar movimentos comunistas em nosso país. Erros naturalmente ocorreram, mas isto faz parte da natureza humana, só que não partiam de cima (Alto Comando) para baixo (Subalternos), e quando descobertos foram os autores devidamente penalizados.

Leia mais:

>> Fernando Gabeira e ex-guerrilheira desmascaram mentira sobre a luta armada

>> Quem são as supostas “vítimas” do Cel. Brilhante Ustra?

>> Saiba quem são os SANTINHOS da foto que anda circulando aí nas redes socias dos MIMIZENTOS de esquerda. (pela OAB do Rio, na pessoa do seu representante Felipe Santa Cruz)



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TORTURADOS PELA "DITADURA"...

Imgs.: internet



Dilma Rousseff foi mais uma indenizada, guerrilheira terrorista aposentada e toda poderosa na era do governo Lula ganhou direito à reparação financeira.

A Comissão Especial de Reparação da Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Rio aprovou concessão de reparação moral à ex-guerrilheira terrorista Dilma Vana Rousseff.

A concessão de indenização na época em que era Ministra Chefe do Gabinete Civil da Presidência da República foi motivo de polêmica.

A Procuradora Leonor Paiva, que não pôde comparecer à reunião, opinou pelo indeferimento ao processo de Dilma. Mas quatro dos sete membros da Comissão rejeitaram seu parecer e beneficiaram a ex-guerrilheira Estela.

A gaúcha (nascida em Belo Horizonte) Dilma faz parte do folclore da luta armada. A guerrilheira participante da organização marxista VAR-Palmares – e que já foi brizolista no passado - teria participado do assalto à casa de uma amante do ex-governador de São Paulo Adhemar de Barros. Do cofre da residência, foram roubados US$ 2 milhões e 400 mil dólares. Dilma alega que ajudou no planejamento. Mas a guerrilheira aposentada garante que não participou da ação. Por coincidência, sua reparação saiu no dia 14 de dezembro, data de seu aniversário de 59 anos.

Dilma, que é autora (como?) do livro "Mulheres que foram à luta armada" (1998) foi beneficiada pelo depoimento de uma companheira de guerrilha. A companheira Vânia Amoretty Abrantes relatou que foi transferida com ela, no mesmo camburão, de uma prisão em São Paulo para o Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI), sediado no quartel da Polícia Especial do Exército, na Rua Barão de Mesquita, no Rio de Janeiro.

Apenas por coincidência, Vânia Amoretty é diretora do Grupo Tortura Nunca Mais. Em nome da ONG, Vânia acompanha os trabalhos da Comissão Especial de Reparação.

Dilma fez lobby e recebeu a medalha do Mérito da Ordem Militar – o que irritou oficiais da ativa e da reserva das Forças Armadas contra as quais a guerrilheira Estela (seu principal codinome) lutou nos tempos da guerrilha urbana.

Naquela oportunidade a “reparação moral” gerou novas polêmicas. Até porque a ex-presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, Dilma seria a responsável por tocar os projetos bilionários de “desenvolvimento que iriam destravar o País”, prometidos pelo presidente Lula reeleito na ocasião.

Texto extraído e adaptado do site:- A verdade Sufocada.

---------------------------------------------------------------------------

Diógenes José Carvalho de Oliveira um dos 10 terroristas que mataram o soldado Mário Kosel Filho recebeu uma indenização de R$ 400.337,73 e mais uma pensão mensal vitalícia, livre de imposto de renda. Por ter assassinado o soldado Mário Kozel Filho e outros tantos crimes, a Comissão de Anistia e o Ministro da (In)"Justiça", Tarso Genro, resolveram premiá-lo.


Versão Mobile assistir em tela inteira (fullscreen)

Para visualizar os outros vídeos clique em ☰ (playlist) lado superior esquerdo BR 


Vídeo 1 - Conheça o Cel Brilhante Ustra apresentado pelo próprio PT - Publicado em 19 de Abril de 2016 por Jair Bolsonaro.

Vídeo 2 - O Contragolpe de 1964 - A Verdade Sufocada.

Vídeo 3 - Ex guerrilheiro conta com detalhes como assassinava pessoas no Governo Militar.

Vídeo 4 - Olavo de Carvalho explica empulhação Comunista.

Vídeo 5 - Olavo de Carvalho explica Comunismo/Socialismo.

Vídeo 6 Entrevista de Jair Bolsonaro para GloboNews | Completo HD.

Vídeo 7 - Professora de Jornalismo comenta o BUG que virou piada na Internet

Vídeo 8 - Bolsonaro vence a Globo em nocaute histórico.

Vídeo 9 - Paulo Guedes defende Bolsonaro e dá aula de economia.

Ver >> "A Luta Armada no Brasil e o Dever do Estado" - Gal. Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes - Clube Militar

Ver >> Clube Militar Online

Ver >> General Leonidas Pires - Entrevista

Ver >> Dr.Ives Gandra - Clube Militar - "A Luta Armada no Brasil e o Dever do Estado" - Publicado em 24 de Abril de 2013.

Ver >> Marco Antônio Villa - Jornalista e Historiador "O Brasil da República ao momento político atual" - HD


Quem são os santinhos democratas que odeiam Bolsonaro

Saiba quem são os BONZINHOS da foto que anda circulando aí nas redes socias dos MIMIZENTOS de esquerda.

  • A maioria nem foi presa/morta pelo DOI-CODI, muito menos sobre a supervisão do Ustra. Mas, essa é a tática da esquerda. Se não existem fatos, invente-os.
  • E tem mais: Dilma lutava contra o regime apenas para implantar a sua ditadura comunista e de seu grupo guerrilheiro. Sua luta jamais foi pelo povo Brasileiro e pela democracia.
  • Aliás, engana-se quem hoje pensa que sua luta também é pela democracia e pelo povo. Não é! Assim como em 64, ela luta pelo poder, por um projeto populista de governo, onde os TIRANOS lançam suas mãos e leis sobre o proletariado.
  • O Ustra só é tão odiado assim pela esquerda, porque ele era o terror dos terroristas! E ser odiado pela esquerda, é uma grande vitória. Pois é um sinal de que ele não se igualou à eles. Se o mesmo fosse de fato um assassino e torturador como a esquerda alega que ele era, Dilma, Lula, Dirceu, José Genoíno e tutti quanti sequer estariam vivos.
  • Ou vocês acham que para terroristas que explodiam pessoas, bancos, prédios, delegacias, presídios, pessoas que matavam e torturavam pessoas nós devemos mandar flores e vinhos?
  • Portanto, se você bate palma para uma terrorista, bata palmas também para os militares. Pois se não fossem eles talvez você e eu não estivéssemos aqui agora.
  • Muito se fala em ditadura apenas por um lado, mas vamos lembrar os crimes do outro lado também. Quando você quiser… A gente pode falar sobre o TORTURADOR, ESTUPRADOR, assassino, saqueador, sequestrador e assaltante do Marighella. O sanguinário endeusado pela esquerda.
  • Ou vocês vão continuar se vitimizando e achar que em 64, os militares tomaram o poder apenas pelo poder?
  • Só um refresco aí na sua memória, eles tomaram o poder com o aval do POVO e conclamados pelo mesmo.
  • Erros foram cometidos de ambos os lados. Portanto, prefiro ficar ao lado de quem defendia o Brasil, mesmo sabendo que eles também sabiam ser maus quando necessário.
  • Melhor ser odiado pela esquerda mas ter servido e defendido seu país, do que exaltar COMUNISTA GUERRILHEIRO com interesses apenas pelo poder.
  • É contra esses que se diziam lutar contra o regime militar de ontem que estamos nas ruas novamente HOJE.
  • Não é uma ideologia que está em jogo neste momento, é uma Nação! Uma nação que está mais uma vez sucumbindo aos monstros com fantasias de anjo do PASSADO.
  • Assim sendo, você pode e tem o direito de discordar. Mas fechar os olhos e tapar os ouvidos para à HISTÓRIA. É uma opção.

 

Fonte: (clique aqui e veja) >> https://homemculto.com/2016/04/19/quem-sao-os-santinhos-democratas-que-odeiam-bolsonaro/



Seja sempre bem-vindo e aproveite para visitar nossas outras páginas


Veja quanto o governo já arrecadou de impostos até agora (Online)


Conheça nossas outras páginas (relacionadas) clicando nos links abaixo: